Saiba por que as exportações de madeira e equipamentos para o setor florestal cresceram e como isso pode ser uma oportunidade

Mesmo em um ano marcado pela pandemia, o setor florestal teve motivos para comemorar em 2020. Isso porque as exportações de madeira, celulose e equipamentos para o transporte de toras ganharam mais espaço internacional e registraram aumento na comercialização.

Desta maneira temos mais produtos e tecnologias do setor florestal brasileiro à disposição de outros mercados do cenário global. E por que esse comportamento se observou no ano passado? Como isso pode ser uma oportunidade para o futuro? Explicamos mais sobre esse assunto nesse artigo.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), os produtos florestais (madeira e celulose) movimentaram, em 2020, US$ 11,41 bilhões em negócios no exterior. Trata-se de um aumento de 11,3% em relação a 2019. É o quarto segmento com mais exportações no agronegócio brasileiro, atrás apenas de carnes, cereais/farinhas e açúcar.

Ou seja, mesmo em um ano pandêmico e com dificuldades econômicas para todos os segmentos, foi possível ampliar o espaço da madeira brasileiro no mundo, gerando ainda mais negócios em novos mercados.

Além disso, segundo o gerente de exportação da Unylaser, Fernando Cardoso dos Reis, o transporte de madeira com equipamentos adequados também conquistou mais espaço internacional. Isso porque os fueiros fabricados no Brasil, principalmente os mais leves e produzidos com aços de alta resistência mecânica, utilizam um tipo específico de aparato que melhora a capacidade de carga do caminhão. Para tanto também é preciso seguir .

Por isso, o mercado internacional tem apostado nessa tecnologia, capaz de suprir qualquer demanda técnica por parte do cliente final. “Afinal, quanto mais madeira sendo movimentada ao redor do mundo, maior é a capacidade de a indústria de equipamentos para o transporte para o setor florestal expandir a sua participação global”, destaca.

 

Influenciadores

Além do bom momento do mercado agrícola no exterior, um dos principais influenciadores da alta nas exportações dos produtos florestais, segundos dos Reis, foi a alta do dólar. Isso porque a desvalorização do Real tornou a madeira e os produtos brasileiros do segmento mais competitivos no mercado internacional com a boa cotação da moeda norte-americana.

Também foi registrado maior participação do setor no atendimento à demanda represada após a primeira onda da pandemia (com ritmo mais acelerado do que no início de 2020) e os pacotes de incentivos que injetaram dinheiro na economia.

 

Novos mercados

Ainda segundo dos Reis, os mercados do Canadá e Estados Unidos estão cada vez mais interessados nos produtos e equipamentos do setor florestal do Brasil.

Porém, ainda existem outros setores para serem explorados, ampliando ainda mais a participação do segmento na economia.

“Há três anos a Unylaser tem como foco o incremento das exportações nos mercados onde já atuamos, além da abertura de novos países. A empresa tem se estruturado internamente para permitir uma resposta rápida às demandas internacionais, entregando soluções com custos competitivos e qualidade de nível mundial. Essa estruturação englobou organização das rotinas de engenharia, adequação das atividades fabris e a melhora nos processos de custeio e precificação. Comercialmente, a equipe se atualizou e buscou desenvolver novas frentes de trabalho”.

Quer ler outros conteúdos sobre o segmento florestal? Preparamos também um checklist com um passo a passo para operação de carga e transporte florestal segura e dentro das normas vigentes. Clique aqui e saiba mais.